quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

O Que Eu Joguei Em 2014 - Cirilo Cítrico

Uma reluzida em minha careca e vamos para a minha contribuição á corrente MeMe 2014, onde dizemos os melhores jogos que jogamos durante o ano que se finda no próximo dia 31. Fomos convidados pelo hater mor, a.k.a Juninho Rodrigues do Lugar de Nerd, e seguindo os posts já feitos pelos outros membros integrantes da suína incandescente, vamos ao que interessa: a minha lista de melhores jogos do ano. Procurarei ser o mais sucinto possível, mas não vou prometer nada.

Lembrando que o que temos aqui é um post pessoal e que carece de análise mais técnica e profunda dos títulos citados.  Tudo faz parte do que eu em minha extrema calvície penso dos títulos de maneira geral como um jogador qualquer, não com o olhar crítico que o jornalismo de jogos pede.





Prêmio mais divertido da galáxia: Rayman Legends



Não poderia começar a lista com outro título. Piada interna no Porca, todos sabem o quanto sou fã do jovem sem braços e pernas. Joguei o Origins, achei o melhor plataforma 2D já feito. Me diverti horrores, com desafios inteligentes e que exigiam bastante do jogador. Então anunciaram sua continuação: Rayman Legends viria em breve, e eu temia. Afinal de contas, quando se joga algo tão marcante, a chance de termos uma sequencia horrorosa que estragasse tudo era algo palpável.

Legends foi lançado no ano passado, mas só fui adquiri-lo na promoção do meio deste ano, via Steam. Minha vida iria dar uma guinada em direção ao Nirvana, o quarto sabor do Napolitano e aquele segundo prato de lasanha com batata palha. Rayman Legends foi instalado, e nem aquela abominação cagada e feita por alguma criança de dois anos que babava no teclado - conhecida como Uplay - foi capaz de ofuscar o jogo.

Gráficos novamente desenhados a mão, criando uma pintura viva em todas as camadas de jogo, trilha sonora épica para embalar a temática do jogo, história que ninguém dá a mínima e com uma desculpa pro jogo rolar, inserção de novos elementos na jogabilidade, muitas fases desbloqueáveis - inclusive umas reformulações do primeiro jogo - , um modo de desafios, futebol, e as tão aguardadas fases musicais. Cara, imagina um jogo bom que foi aperfeiçoado em todos os pontos que eram bons e levemente polido no que pôde ter deixado a desejar.

Rayman Legends é um título mais do que recomendado para todos. Com uma versão demo oficial - sem precisar recorrer ao tio Jack Sparrow - te permite ter uma noção do título. Sinto muito fãs do ouriço azul e do bigodudo vermelho - os quais também gosto -, mas o carinha sem braços da Ubisoft sambou na cara de vocês. Vão ter que suar demais pra chegar no nível deste jogo.


Troféu Piroclástico Modafoca do Ano - Mass Effect 2



Não, não joguei o terceiro. E mesmo sabendo que ele é potencialmente com um final ruim, a sequencia não torna o antecessor ruim. Mass Effect 1 foi um grande jogo, com uma história bem trabalhada, escolhas difíceis e um sistema de combate que funcionava apesar dos pesares. Mass Effect 2 pegou tudo isso e melhorou.

Em ME 2, temos uma história ainda mais densa, com uma desculpa plausível para o sumiço dos personagens - aquele velho problema de sequencias, onde você rala pra juntar uma party foda e na sequencia todo mundo simplesmente some, e você começa sozinho de novo -, gráficos MUITO mais evoluídos, histórias principal e secundárias muito bem montadas e que se relacionam em vários pontos, sistema de combate melhorado, trilha sonora ainda melhor, não utilização de cenários repetidos - lembra da exploração de planetas do 1? - e graças ao bom senhor da Bioware que pensou nisso, NADA DE M.A.K.O.. Putz que parágrafo gigante.

Enfim, se você é fã de um jogo que te prenda do começo ao final, o temos aqui. Mesmo com a chatice de ter que mineirar planetas por recursos - puta evento chato - o jogo é brilhante. E eu encontrei alguns bugs na versão pra PC, sendo que o pior de todos era o sistema de mira que ficava piscando e não focava por vezes. Deu trabalho em alguns momentos, mas deu pra jogar sem ficar mais careca ainda. Até o hater citado no começo deste post curtiu este jogo, então ele deve ser bom mesmo.


Prêmio Pampers Pra Que Te Quero - Alien Isolation



(Para uma análise mais técnica do jogo, confira a primeira edição do jornal A Porca.)


"Rá, jogo do Alien, baseado num dos filmes mais icônicos da história, e que realmente será de terror. tenho que jogá-lo!". Assim foi o começo do meu erro. Mimimi sou machão e vou jogar Alien até o final. Boa sorte.

Gráficos, trilha sonora, ambientação, atmosfera, tudo remete ao clássico dos cinemas. O retro-futurismo da nave, a total e completa situação de vulnerabilidade da personagem principal, a onipresença e imortalidade do Alien, as outras ameaças do jogo, tudo contribui para o melhor jogo de terror que já joguei. Sério, esquece o resto, isso aqui me rendeu mais taquicardias do que eu jamais havia sofrido com um jogo.

Ele prometeu, e cumpriu. Se você tá afim de provar que é o machão da vizinhança que conseguiria pegar até a Gretchen quando acorda e assistir o programa da Ana Maria na sequencia, temos aqui um teste de verdade pra você. Recomendado pra quem tem culhões, porque os meus tão abalados depois deste jogo, não nego. Esse jogo me deixou ALIENADO! Não deu nem pra dar RIPPLEY! Hahahaha... Cazalbé, você por aqui...


Troféu Melhor Reboot: Tomb Raider
 
 

Onze em cada dez marmanjos lembra da Lara Croft, não há discussão disso. Todos se lembram do quanto os primeiros jogos da série foram uma febre, trazendo uma mulher de peito (não resisti, foi mal) que botava no chinelo muitos heróis dos games, sobrevivendo ás mais diversas ameaças em busca de relíquias arqueológicas. A série decaiu, galera reclamou, e finalmente recomeçaram a bagunça toda.

O jogo não é deste ano, mas joguei-o apenas recentemente. Lara Croft voltou ao mundo dos games em uma aventura que fez com que ela desse o primeiro passo rumo ao fodismo de short curto que ela era. O jogo é extremamente bem montado, trazendo uma Lara muito humana, que se depara com muitos problemas numa ilha e tem de se virar para sair dali.

Quick Time Events muito bem colocados, sem excesso, gráficos de cair o queixo, trilha sonora excelente, exploração de colecionáveis que remete aos clássicos da série, e uma história que te faz querer pegar a Lara no colo e cuidar dela pro resto da vida, tamanho o sofrimento da garota no jogo. Sério, ela sofre, e você vai junto. Sem piadas no fim deste tópico, ainda to travado na do Alien...
...
...
Por que a Lara não pode concorrer no Mortal Kombat para defender a Terra? Porque ela Tomba o Raiden!
...



Decepção Extremamente Alta do Ano
ou
Prêmio Didi de Mais do Mesmo Eternamente - Borderlands 2



Muitos devem torcer o nariz para minha careca depois dessa, mas a decepção que tive com esse título foi alta. Explico: Borderlands 1 foi um jogo legal, ambiente vasto, muitos inimigos, armas pra caramba, missões por quilo e gráficos interessantes. Mas é mais repetitivo do que assistir o programa do Didi. Eu enjoei do 1 e custei a conseguir voltar a jogar para finalizá-lo, mas ainda não consegui terminar também.

Aí anunciaram BL2, todos pagaram pau, meu note da Xuxa não rodava e quando consegui meu Master Race, fui conferir o título, que todos diziam ser melhor que o 1 em muitos sentidos, que nem compara, pá e tal. Joia. Gráficos melhores? Confere. Trilha sonora boa? Confere. Personagens carismáticos? Confere. Bazilhões de armas? Confere. Missões por tonelada? Confere. Repetitivo? Tanto quanto o 1.

O jogo foi tão hypado que não pude me agradar com o jogo. Ele realmente chega a ser legal, mas é com leves doses de jogatina. Não da pra manter por muito tempo. Foi uma decepção e tanto. Até me divirto vez ou outra, mas não aguento.




E essa foi minha opinião dos melhores do ano. Deixe aí seu pitaco sobre o que foi dito ou desdito ai.
Confira também como foi o ano do resto dos contribuidores da suína incandescente:
Lica Ripílica - A Menina Que Comia Livros;
Gakuma Psycho Gorilão de Spoiler;
Th_Mc Trem Thomas e Seus Amigos do Rap;
 Allyson Duck - Frango Com Nadadeiras;
Ediróbio Ediroscleisson Edimael Cavaleiro Cristão do Twitter



Um comentário:

  1. Cirilo e sua careca "cirilante" participando - Cazalberto... Você de novo nesse post? Sai daqui *chute*

    Véi, que lista massa mas em plataforma eu virei MUITO fã alienado do Shovel Knight. É incrível o poder de viciar que aquele maldito jogo tem, e que músicas incríveis da era 8 bits como por exemplo essa:

    https://www.youtube.com/watch?v=hKRngIDQsms

    E mano, Mass Effect 2 foi por pouco o meu melhor jogo de 2014, mas o Tales of the Abyss é sinistramente superior, incrível como ME2 chegou preto mas não deu pra ele, mas foi um jogo mega do caralho e é super foda a emoção de jogar a Suicide Mission, principalmente quando ninguém te atrapalha, coisa que aconteceu comigo por pura sorte.

    Tomb Raider é foda, o novo matou a pau e ensinou uma coisa ou duas sobre como se fazer um remake (leu essa hein Ninja Theory?) e Alien Isolation é algo que não entendo nada porque nem mesmo vi o filme (nem filme eu vejo) e por isso boiei sobre 100% de tudo que disseram sobre ele.

    Borderlands 1 eu joguei e zerei num pulo só, 70 horas de campanha mega do caralho e não vejo a hora de ter tempo sobrando pra jogar o 2.

    ResponderExcluir